59º Concerto

59º CONCERTO: SÁBADO, 25 DE MARÇO DE 2017, 16:00 NO PLANETÁRIO

(AUDITÓRIO: Rua Vice-Governador Rubens Berardo, 100, Gávea, fone 2088-0536).

AO VIVO COM O PIANISTA MARIO PRISUELOS – GRÁTIS

SOB OS AUSPÍCIOS DO INSTITUTO CERVANTES / CO-PRODUÇÃO VENTANIA CULTURAL

Este concerto será ao vivo (excepcionalmente fora do formato habitual de Vídeo-Concerto) com o renomado pianista espanhol Mario Prisuelos, que executará obras de alguns dos mais representativos compositores da história da música espanhola, como Padre Antonio Soler, Isaac Albéniz, Enrique Granados, Federico Mompou e Tomás Marco. Como destaque, homenageará os 150 anos de nascimento de Marcial del Adalid, o mais importante compositor romântico espanhol para piano, conhecido como o Chopin espanhol. O concerto é realizado sob os auspícios do Instituto Cervantes, com co-produção da Ventania Cultural (Maria do Rosário Malcher).

A entrada é franca, mas garanta sua reserva enviando um EM para [email protected] (Assunto: Concerto do dia 25 de março) até o dia 24 de março e retire seu ingresso na Recepção até meia hora antes do concerto, após o que as reservas serão abertas. A lista de entrada para os que não fizerem reserva será organizada na Recepção 45 minutos antes do início do evento até completar a lotação do Auditório (120 lugares).

O estacionamento do Planetário é gratuito e estará disponível dentro de sua capacidade limitada. Os estacionamentos do Trade Center e do Shopping da Gávea, na Rua Marquês de São Vicente, são boas opções. Não obstante, a área é servida por farto transporte público.

O concerto dura cerca de duas horas, incluindo a contextualização das obras pelo intérprete. Sua presença é sumamente importante para que possamos justificar este projeto sem patrocínio e sua continuação.

Um ótimo Concerto é o que lhes deseja a direção do Planetário do Rio de Janeiro, da AMAGÁVEA, da AMAJB, da Sociedade Musical Bachiana Brasileira e da AAJB, através de seu Conselheiro Nelson de Franco.

Eis o programa detalhado:

Duração Musical: 79

PARTE I: 43’

  1. Padre Antonio Soler (1729-1783), 10’.

1.1 Sonata em Ré Maior SR 74, ca. 1779, 5’.

1.2 Sonata em Ré Bemol Maior SR 88, ca. 1779, 5’.

  1. Isaac Albéniz (1860-1909), Asturias em Sol Menor: i) Larguetto; ii) / Pájaro triste; iii) Secreto, 1892, 7’.
  2. Marcial del Adalid (1826-1881), 26’

3.1 Romanzas sin palabras: Souvenir du foyer / Chagrin d´amour / Ne plus te voir!, 9’.

3.2 El lamento (Balada para piano), 10’.

3.3 Scherzo Nº 3 em Mi Bemol Maior, Opus 24, 7’.

PARTE II: 36’

  1. Federico Mompou (1893-1987), Impresiones Intimas: Pájaro triste / Secreto / Gitano, 1911-14, rev. 1959, 10’.
  2. Tomás Marco (1942), Giardini Scarlattiani (Sonata de Madrid): Prado de San Isidro / Prado Viejo / Buen Retiro, 9’.
  3. Enrique Granados (1876-1916), Suíte Goyescas (excertos), 1911, 17”.

6.1 El amor y la muerte, 12’.

6.2 El Pelele, 5’

MARIO PRISUELOS. Considerado um dos mais relevantes pianistas de sua geração, é fundamental seu firme compromisso com a música de seu tempo estreando e interpretando em salas da Europa e América obras de compositores espanhóis, muitas dedicadas a ele. Realizou gravações discográficas e radiofónicas no selo Verso, Sonoris, RTVE e Hrvatski Croatian Radio, e para a Universal seu primeiro trabalho o CD Adalid: el piano romántico. Frequentemente dá masterclasses em diferentes centros docentes e universidades da Europa e América (Universidades de Princenton, William Patterson Internacional da Flórida, Costa Rica, etc.). Participa do Berliner Klassik Sommer junto com a Berliner Camerata, sob a batuta de Johannes Schläfli, e recentemente como solista junto ao Ensemble Meitar em Tel Aviv, sob a direção de Fabian Panisello. Em 2016, o município de Villaviciosa de Odón (nas cercanias de Madri, onde nasceu e começou seus estudos) concedeu-lhe o título de Filho Predileto.

Cursou o Real Conservatório de Música de Madri, tendp posteriormente desenvolvido sua formação com o pianista Humberto Quagliata, complementando-a com diversos encontros com Leonid Brumberg em Viena e outros importantes pianistas como Phillip Dyson, Andrzej Jasinski y Alicia de Larrocha.

Debutou em nível internacional no Festival de Piano de Feuchtwangen, na Alemanha, dentro do aclamado Musikzauber Franken, onde a crítica elogiou seu grande talento e forte poder de comunicação. Desde então, começou uma intensa atividade concertística, seja em recital, como solista de orquestra ou em grupos de câmara, em salas de Viena, Milão, Paris, Londres, Florença, Rio de Janeiro, Nova York, Miami, entre outras. É convidado habitual de importantes festivais por toda a Europa. Recentemente realizou uma extensa turnê pelos Estados Unidos que o levou a debutar no Carnegie Hall de Nova York, assim como concertos no Auditório Nacional de Madri, Centro Pompidou de Paris e a Academia de Música de Zagreb. Próximos compromissos estão agendados para salas da Itália, Inglaterra, Peru, Uruguai, Estados Unidos, Portugal e Polônia. www.marioprisuelos.com

Nota: O próximo concerto será anunciado oportunamente.

Atenciosamente,

Diretoria Amagávea