Sobre a Instalação da Nova Escola na Rua Major Rubens Vaz

Caros moradores,

As fotos em destaque são da obra da futura nova escola, na Rua Major Rubens Vaz 441, localizada em área residencial entre as casas 429 e 451.

Essa instalação agride o direito de vizinhança assegurado por lei. Os moradores da Major e da Rua Jequitiba entregaram um abaixo assinado ao Superintendente da Zona Sul Sr Marcelo Maywald, que após análise junto com o Arq. Bruno Mendes Marques e com Sr. Claudio da DLF (Departamento de Licença e Fiscalização) foram unânimes na avaliação de que neste local não caberia mais uma escola devido ao impacto viário (na Major temos três escolas, Escola Nova, curso Scole de Inglês e a creche Espaços Envolvimento).

Foi entregue pela Amagávea Ofício ao Ministério Público solicitando o embargo da obra. Em razão da pandemia está tudo paralisado. A transformação do imóvel 441 de residencial para comercial foi aprovado pela Secretaria de Urbanismo, chefiada pela Sra. Fernanda Teijado, que não recebeu os moradores em seu gabinete. Essa mudança de residencial para comercial, foi dada após a Secretaria aceitar o estudo de impacto viário realizado em janeiro de 2020 no período de férias escolares. O Diretor Técnico da CET RIO, Sr José Modesto, desconsiderou o estudo anterior e a não autorização de implantação de mais uma escola na Major Rubens Vaz, afirmado em relatório assinado pela Superintendência e pela unidade CET-RIO Unidade Gávea.

Eu, Rene Hasenclever, Presidente da Amagávea, solicitei, através da secretária Sra. Cássia, reunião com o Sr. Modesto e com o Presidente da CET-RIO, Sr. Airton, e jamais fomos recebidos. Esta atitude é anti-democrática!

Estaremos, assim que a pandemia passar, entrando na Justiça contra esta Escola, cujo projeto não foi discutido e analisado com o Urbanismo e a CET RIO. Houve, ao nosso entender, uma decisão que fere os princípios éticos e democráticos. Não iremos aceitar o que entendemos como abuso de poder tal ação que afeta a manutenção da qualidade de vida dos moradores da Gávea.

(No site da Associação também é possível a visualização de dois vídeos das obras)