Obras do metrô

O Globo – Notícia publicada em 27/04/13 – 12h20
Obras do metrô: moradores da Gávea fazem manifestação contra a falta de estacionamento
Principais atingidos são moradores da Travessa Madre Jacinta

Leandra Lima

RIO — Moradores da Gávea tomaram a Travessa Madre Jacinta na manhã deste sábado para protestarem contra os impactos das obras da Linha 4 do Metrô na região. Esta semana, os moradores foram proibidos de estacionarem seus veículos na via pública para possibilitar a circulação de caminhões.

Cerca de 20 manifestantes empunham faixa com dizeres contra a quantidade de caminhões, que, segundo os moradores, transitam no entorno dia e noite, todos os dias da semana, e contra a montagem de um canteiro de obras em área da travessa sem a conclusão de um estudo de impacto.

Segundo a moradora da rua Maria Cristina Vieira, eles passam atualmente por problemas como falta de espaço para estacionarem seus carros na travessa, barulho por conta das atividades no canteiro de obras e do tráfego dos caminhões, e rachaduras em casas da região.

— Os cerca de 200 caminhões que trafegam por aqui 24 horas sem parar acabam com o nosso sono. Sem contar os impactos no trânsito. O metrô iniciou as obras sem que o projeto executivo fosse concluído. Daí eles tomam as decisões do dia para a noite, para fazer uma obra a toque de caixa, e não nos prestam esclarecimentos de nada! Queremos o metrô sim, mas queremos também cuidado, transparência, e informação por parte do metrô — protesta Maria Cristina.

A assessoria do Consórcio Construtor Rio Barra rebate as manifestações e diz que um planejamento para o trânsito na região já foi elaborado em conjunto com a CET-Rio. Segundo nota emitida pela empresa, foi instalado, em março, um centro de atendimento à população na Travessa Madre Jacinta. Lá estão disponíveis informações sobre as etapas das obras e sobre o empreendimento.

Um grupo de moradores pediu ao Consórcio Construtor Rio Barra que tentasse encontrar uma solução para as vagas de estacionamento público da Travessa. O Consórcio entrou em contato com a administração da PUC-Rio, para verificar a possibilidade de a universidade ceder vagas para os moradores. Não obtiveram sucesso, no entanto. A nota diz ainda que, por se tratar de vagas públicas, na rua, e não de estacionamento particular, não é possível utilizar recursos públicos para custear estacionamento privado.

URL: http://glo.bo/127HuUo

Participação da comissão pré-organizadora do 2º encontro do conselho regional de arquitetura-CAU RJ com a Sociedade (Reunião 1 de 4)

O Sr. Nelson de Franco representou a AMAGÁVEA participando na Comissão Pré-Organizadora do 2º Encontro do Conselho Regional de Arquitetura-CAU RJ com a Sociedade, a ser realizado na FIRJAN em 30 de outubro, através de contribuição significativa para a definição dos temas das Mesas Redondas do Encontro e recomendações sobre os seus participantes. Os temas são de interesse da Cidade e da Gávea, em particular: 1. Desenvolvimento Sustentável -Eixos Ambiental, Social e Econômico; 2. Legislação, Moradia, Patrimônio Público x Interesse Privado; 3. Mobilidade e Acessibilidade.

Visita às obras do Metrô

No dia 06 de Abril de 2013, representantes da Diretoria da AMAGÁVEA e moradores da Travessa Madre Jacinta realizaram uma visita técnica, nas instalações administrativas do Consórcio Construtor Rio Barra (CCRB) e nas obras de construção da linha de metro entre os bairros de São Conrado e Gávea, com o objetivo de conhecer as medidas de controle necessárias para minimizar os impactos ambientais e sociais, resultantes destas atividades. Dentre as diversas explicações dadas pelos responsáveis do CCRB, cabe salientar as seguintes medidas de controle, postas em prática nas frentes de obra visitadas, e que também serão implementadas nas obras de construção do metro na Gávea:
• Adotar medidas de controle no sentido de evitar a emissão de material particulado para a atmosfera e de reduzir o nível de ruídos provenientes da execução das obras e do fluxo de veículos;
• Gerenciamento dos resíduos gerados nas obras;
• Controle de ruídos (nível de pressão sonora) e vibrações nas vizinhanças;
• Programa de Monitoramento de Recalques;
• Sistema de Tratamento de Água;
• Programa de Monitoramento e Conservação da Biodiversidade;
• Estação de Tratamento de Efluentes Sanitários;
• Controle de tráfego nas ruas da Gávea;
• Controle de pragas e vetores nas instalações do CCRB;
• Preparação e resposta à emergências;
• Adotar medidas de controle para evitar o carreamento e o transbordamento de material da obra para as vias públicas;
• Implantar, durante a realização das obras, dispositivos de proteção aos pedestres e sinalização para veículos, de modo a minimizar o risco de ocorrência de acidentes;
• Não lançar quaisquer resíduos nos corpos d’água ou na rede de drenagem, e
• Não realizar queima de qual quer material ao ar livre.
Agora, cabe aos moradores da Gávea, com o devido apoio da AMAGÁVEA, cobrar efetivamente a implementação destes controles e monitorar a correta aplicação dos mesmos.

13º VC de Música Clássica no Planetário

Amigas e Amigos da Música de Concerto,

É com grande prazer que vimos convidá-los para o quarto vídeo-concerto do ano, o 13º da Série Música Clássica nas Estrelas, no sábado 6 de abril, às 15:30 (ATENÇÃO: meia hora mais cedo que o habitual horário das 4, por necessidade da Administração do Planetário), no Auditório do Planetário (Rua Vice-Governador Rubens Berardo, 100, Gávea, fone 2274-0046), que oferece conforto e qualidade sonora para levar-lhes um programa de elevado entretenimento cultural.

Excepcionalmente, este concerto apresentará um recital ao vivo da violinista polonesa Katarzyna Libront com o contrabaixista Vinicius Frate, recém graduado em especialização na Itália. O programa de alta qualidade musical incluirá trechos de uma sonata para violino de Bach, de uma sonata para viola da gamba de Abel, transcrita para contrabaixo, e uma suíte para violino e contrabaixo de Glière. Os instrumentistas ilustrarão alguns dos recursos e efeitos de seus instrumentos utilizados na música de concerto e estarão à disposição da plateia para discutir temas de seu interesse, de natureza musical ou mesmo institucional, como, por exemplo, a realidade atual para a carreira dos músicos clássicos, principalmente jovens, no Brasil, Itália e Polônia.

Não adquira ingresso na Bilheteria; entre diretamente no prédio e proceda à entrada do Auditório, no 2º piso (a Recepção estará à disposição para orientar os que não conhecem o Planetário), onde estaremos, pelo menos meia hora antes do VC, organizando a lista de entrada e recebendo as contribuições, que, muito agradeceríamos, fossem, se possível, de $15 por pessoa, tendo em conta os atuais custos de produção e ausência de patrocínio financeiro. Vamos sortear entre os presentes um DVD de qualidade, associado aos nossos VCs anteriores. Estamos às ordens para fazer uma reserva em seu nome: por favor, mande um EM para [email protected] (assunto: VC de 06.04 no Planetário) ou se comunique com Nelson de Franco nos fones 2274-9972 ou 9676-3040. Se V., por acaso, esquecer de fazer a reserva, não deixe de comparecer por essa razão, pois o Auditório com suas 100 cadeiras tem capacidade suficiente para acomodar a costumeira plateia dos VCs. O Planetário, além de ser servido por farto transporte público, oferece estacionamento amplo e gratuito.

Sua presença é sumamente importante para que possamos fazer este projeto autossustentável.

Um ótimo Concerto é o que lhes deseja a direção do Planetário do Rio de Janeiro, a AMAGÁVEA, a AMAJB e a AAJB, através de seu Conselheiro Nelson de Franco.